“Excesso de bebês”: a tragédia do mercado de barriga de aluguel durante a pandemia
“Excesso de bebês”: a tragédia do mercado de barriga de aluguel durante a pandemia

Uma agência ucraniana, especializada em reprodução humana, de acordo com o logotipo em seu website, atualizou o seu quadro de informações em sua plataforma online sobre os custos de “manutenção de crianças” em seu centro. A BioTexCom é conhecida como uma das agências preferidas por pais espanhóis que desejam ter um filho biológico mas têm problemas de fertilidade, de acordo com internautas. Um usuário do Twitter postou uma história aterradora sobre as práticas comerciais dessa empresa, com fotos de vários bebês em um berçário, no que parece ser um ambiente hospitalar. O tweet de @gmm223 foi feito no final de março e viralizou, sendo compartilhado milhares de vezes na rede social.

Esse centro de reprodução humana afirma que oferece, entre outros meios de assistência à reprodução, a barriga de aluguel, para aqueles que têm os meios para pagar pelo “serviço”.

Mas em 2020, o mundo está enfrentando uma pandemia, que afeta mais de 200 países, com quase 4 milhões de pessoas infectadas pelo coronavirus, também conhecido pelo público como Covid19, e a Ucrânia precisou fechar as suas fronteiras e estabelecer o distanciamento social e o confinamento para tentar reduzir a contaminação pelo vírus, como muitos outros países.

No meio desse caos, com muitas pessoas em situação financeira mais necessitada perdendo seus empregos ou meios de ganho, seu pequeno negócio, a estagnação econômica, vários produtos alimentícios sumindo das prateleiras devido à alta demanda e à baixa produção, pais fazendo ensino doméstico sem ajuda de seus governos, o aumento considerável da violência doméstica pelo fato de que muitas mulheres estão agora trancadas em casa com parceiros abusivos, além do alto número de mortes pelo vírus, um destino cruel espera por quem está conectado à BioTexCom. De um lado, estão os pais que investiram o seu dinheiro em uma barriga de aluguel para ter um bebê biológico, que estão impossibilitados de viajar para a Ucrânia devido ao confinamento e ao fechamento das fronteiras. Em uma de suas recentes atualizações no site da agência, há vários links para informações sobre a situação atual, com várias fotos de recém-nascidos que estão à espera de seus pais biológicos vir buscá-los.

O jornal Publico postou recentemente uma matéria sobre a situação, dando uma descrição a cerca do plano da Ucrânia de organizar alguns vôos para que nacionais ucranianos possam retornar ao país. Alguns dos pais espanhóis farão uso desses vôos para ir buscar os bebês, mas a maioria das crianças permanecerá com a BioTexCom, em hoteis e outros tipos de alojamento.

A atualização do website da BioTExCom também revela que os custos de “manutenção das crianças” foi reduzido de 50 para 25 euros, supostamente para auxiliar aqueles pais que tiveram perdas significativas de renda com o fechamento de pequenos negócios durante o confinamento ou perderam seus empregos. Outras medidas que o centro tomou foi a organização de um sistema de “assinatura de contrato online”. Também há a possibilidade de um plano básico de 90 euros para arcar com as despesas de roupas de bebês.

Mas apesar da clínica de reprodução estar em quarentena, como todas as empresas, eles querem garantir aos seus clientes e possíveis clientes que o negócio está funcionando regularmente, o que nos obriga a perguntar: como é trabalhar em quarentena com as mulheres que serão barriga de aluguel? Quais são as medidas tomadas para garantir o distanciamento social e as medidas de ordem médica que serão tomadas para garantir a segurança dessas mulheres contra o Covi19?

Do outro lado, portanto, estão os próprios bebês, que estão sendo mantidos por enfermeiras e parteiras. De acordo com a empresa, há 46 bebês no momento que não puderam ser coletados até agora, nascidos durante o confinamento, cujos pais biológicos não puderam vir à Ucrânia para buscá-los ainda. As mulheres que os gestaram e os pariram, além de todos os riscos inerentes à gravidez pelos quais já passaram para prestar esse “serviço”, agora enfrentam dois destinos diferentes: sem receber o dinheiro que lhes foi prometido, elas terão de escolher entre dar o bebê para adoção, ou criá-lo sem condições financeiras ou emocionais. De qualquer modo, é uma perspectiva bastante perturbadora.

O movimento pelos direitos das mulheres já vem alertando o mundo sobre as questões da barriga de aluguel faz um bom tempo, e parece que os nossos maiores receios se concretizaram. O mercado da barriga de aluguel é um dos muitos exemplos de exploração da mulher que tem sido negligenciado por muitos governos ao redor do mundo, ou ignorado solenemente. Muitos políticos ainda parecem acreditar que ter um filho biológico é apenas mais um direito humano, e muitos lugares parecem confortáveis em falar a respeito da legalização dessa prática.

Mas um olhar mais preciso sobre o que realmente acontece quando a barriga de aluguel é legalizada ou permitida revela um lado muito mais sinistro sobre a prática. Mulheres que se ofereceram como barriga de aluguel perderam a vida durante a gestação de um bebê para outro casal. Em alguns lugares, algumas “fábricas de bebês” já foram descobertas com mulheres sequestradas para servirem de barriga de aluguel, mantidas em cárcere por meses até engravidarem por inserminação artificial, presas durante toda a gestação e forçadas a amamentar após o nascimento. Algumas denúncias também revelaram que em algumas dessas fábricas, muitas mulheres são estupradas até engravidarem.

No caso da agência ucraniana, há ainda um alto risco dos pais biológicos estrangeiros nunca virem buscar o bebê que eles “encomendaram”. O receio entre pessoas que estão acompanhando as notícias sobre essa história é que esses pais, impedidos de viajar à Ucrânia nesse momento em que ambos os países têm as suas fronteiras fechadas e os vôos comerciais foram cancelados, terão de esperar que o vírus seja controlado. Muitos pais deixarão de ir buscar os bebês porque eles estarão “crescidos” demais. De certo modo, esse é um dos objetivos da barriga de aluguel: não apenas de fornecer a chance de ter um filho biológico, mas também de ter um filho recém-nascido, o que tem sido uma grande questão para as agências de adoção e orfanatos por muitos anos. Estatisticamente, sabe-se que muitos pais que desejam adotar têm preferência por bebês em vez de crianças mais velhas (entre outras peferências, como cor da pele e sexo) e que crianças mais velhas são mais difíceis de adotar porque muitos pais alegam que elas já podem estar muito traumatizadas e, portanto, mais complicadas.

A BioTexCom afirma que garante a segurança dos bebês nascidos através do trabalho do centro de reprodução humana com uma equipe de babás com uma “formação médica” (mulheres com diploma médico que trabalham como babás, talvez? É uma pergunta que provavelmente muitos gostariam de ver respondida) e também garante os direitos dos bebês nascidos de pais estrangeiros na Ucrânia. Mas não há nada no seu site garantindo que as mulheres que gestaram esses bebês terão seus direitos serão contempladas também.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui