A queima das bruxas e o incêndio feminista

Desse modo, a caça às bruxas constituiu uma ferramenta de construção de uma nova ordem patriarcal que se preocupou ferozmente em controlar os corpos das mulheres, seu trabalho e suas atividades sexuais, transformando-os em recursos econômicos e, praticamente, propriedades do Estado. Para mostrar o que ser dona do próprio nariz poderia causar, as torturas das mulheres acusadas de bruxaria eram aterrorizantes e podiam ser assistidas por todos em praças públicas: elas eram despidas, depiladas, perfuradas com agulhas em todo o corpo e muitas vezes estupradas. As filhas das bruxas sempre estavam presentes em suas execuções, afinal, era importante dizer para outras mulheres como elas não deveriam se portar.

Read more

Foi assim que eles quebraram nossas avós

A Inquisição certamente não inventou o patriarcado, a tortura ou o reinado de terror público projetado para quebrar a vontade dos povos conquistados. No entanto, ela pôs em movimento um poderoso conjunto de normas sociais que permanecem conosco. E mesmo que o mundo tenha mudado tanto que a Igreja Católica pediu desculpas por perseguir hereges, tais desculpas são raras entre as outras igrejas e governos que assassinaram pessoas com alegações de satanismo.
As mulheres continuam a ser expulsas dos empregos por conta do assédio masculino, demonizadas publicamente de maneira sexista, torturadas para entretenimento na indústria do sexo e mortas por homens desagradáveis.

Read more

Mais bruxas. E todos os dias, mais bruxas.

As bruxas, essas que foram vilipendiadas ao longo da história, estavam envolvidas em todo tipo de problemas. Não eram complacentes com quase ninguém e desagradavam a mais pessoas do que as que com elas simpatizavam. O movimento feminista busca desmantelar o sistema de opressão mais colossal que a humanidade já conheceu: aquele que subordina metade da população que habita esse Planeta Terra. Se a versão bacana do nosso movimento feminista agrada todo mundo (particularmente ao sistema), é porque há algo de errado e temos que questionar seriamente os nossos objetivos.

Read more