Precisamos acabar com o mito do homem abusador injustiçado

Um dos mitos mais enraizados no imaginário social é que um homem acusado de abuso é sempre um injustiçado, cuja acusadora é uma oportunista, querendo, PASMEM, a fama de ter sido abusada pelo sujeito. Qual mulher perderia a “oportunidade” de levar a fama de vítima de um estupro e caluniadora ao mesmo tempo? Tentador né?

Infelizmente muita gente cai nessa falácia. As próprias mulheres, na maioria das vezes por desconhecerem a dimensão sistêmica de estupros no país, acabam por sair em defesa de um “inocente até que se prove o contrário”. A cada 11 minutos uma mulher é estuprada no Brasil, mas porque apesar desse dado assustador as pessoas ainda preferem dar a presunção da inocência para o homem acusado de estupro do que para a mulher vítima do estupro? Pelo falso mito das denúncias falsas. Há um chamado de justiça social porque a vida daquele pobre homem pode ser destruída por uma acusação falsa. Mas será que isso acontece?

Uma mulher denuncia um estupro e é imediatamente questionada: sua vida, seus comportamentos, seu caráter, suas roupas, suas ações. Se ela não cumprir o imaginário popular de uma vitima que “não mereceu” ser estuprada, passa imediatamente para o escrutínio público. A mulher para ser agraciada com a presunção de sua inocência precisa ter uma conduta ilibada, e ser boa, recatada e do lar. Só esquecem que mulheres prostituídas, atrizes pornô, e mulheres taxadas de “vadias” por sua conduta sexual semelhante à masculina também são estupradas, e tem em comum o descrédito das pessoas quando denunciam, como se o NÃO consentimento sexual para elas não fosse permitido já que se espera delas “sexo fácil”.

A taxa de condenações por estupro no Brasil gira em torno de 1%, segundo o perito criminal federal e presidente da Academia Brasileira de Ciências Forenses, Hélio Buchmüller, no artigo Crimes sexuais: a impunidade gerada por um Estado omisso.

Então vamos aos dados:

Violência Sexual
Dados do estupro no Brasil segundo o Atlas da Violência 2018 (Ipea/FBSP, 2018):

  • 135 estupros por dia
  • 49.497 casos de estupro registrados nas polícias brasileiras
  • 22.918 estupros nos registros do SUS
  • Considerando a subnotificação, estima-se que ocorram entre 300 mil e 500 mil estupros a cada ano
  • Isso elevaria a estimativa média para 822 a 1.370 estupros a cada dia no Brasil


Existe um mito de que é só a mulher denunciar e que a justiça resolverá. Bem, de acordo com estimativas de subnotifcação, os dados disponíveis podem representar apenas 10% do total real de estupros. Ou seja, estima-se que 90% dos estupros NÃO SÃO DENUNCIADOS.

“Para colocar a questão sob uma perspectiva internacional, nos Estados Unidos, apenas 15% do total dos estupros são reportados à polícia. Caso a nossa taxa de subnotificação fosse igual à americana, ou, mais crível, girasse em torno de 90%, estaríamos falando de uma prevalência de estupro no Brasil entre 300 mil a 500 mil a cada ano.” Fonte: Atlas da Violência 2018 (Ipea/FBSP, 2018)

Segundo reportagem do jornal TheIntercept :

“A quantidade de sobreviventes que se mantêm caladas é flagrantemente maior do que a de falsas vítimas que se dirigem às delegacias — e, portanto, de homens que são injustamente acusados. O que força seu silêncio é, em grande parte, a certeza de que serão apontadas como mentirosas e traiçoeiras, até que se prove o contrário — ou, às vezes, mesmo depois disso. […] Esperamos que, depois do abuso, corram de seu agressor; mas, quando ele é um conhecido — como em 70% dos casos no Brasil, segundo o Ipea –, tendem a interagir normalmente com ele. É um mecanismo de defesa: inconscientemente, fingem que nada aconteceu, porque assimilar que alguém em quem confiavam as atacou dessa forma as deixaria sem chão.”

Ou seja, as pessoas na hora de julgar o estupro, estão se baseando na EXCEÇÃO, e não na regra, onde a maioria esmagadora das mulheres está falando a verdade.

Além disso, temos que acabar com:
O MITO DE QUE UM POBRE HOMEM CALUNIADO TEM A VIDA DESTRUÍDA.

Lista de homens que COMETERAM crimes de abuso sexual ou abuso físico contra mulheres e a vida segue plena (e nem foram caluniados, imagine se fosse só uma denuncia falsa né?)

  • Roman Polanski foi CONDENADO por estupro de uma menina de 13 anos com a pena MÁXIMA de 50 anos, segue solto, e ganhando prêmios no cinema.
  • Casey Affleck, ganhou um Oscar logo após ser acusado de abuso sexual
  • Ben Affleck, assediador, segue carreira como diretor e ator
  • Woody Allen, segue sendo cultuado por cinéfilos como grande diretor
  • Cris Brown espancou a namorada Rihanna, segue sendo cantor famoso e tocado nas rádios
  • Johnny Depp bateu na esposa, segue sendo um ator bem pago e chamado pra grandes franquias
  • Lars Von Trier, assediador, segue nos festivais de cinema, ganhando prêmios
  • Terry Richardson segue fotografando celebridades
  • Michael Fassbender assediador, segue atuando normalmente
  • Mel Gibson segue dirigindo, roteirizando, recebendo patrocínio
  • Cristiano Ronaldo mesmo confessando estupro, segue jogando e disputando copas do mundo normalmente
  • Cuca, quando era jogador, estuprou uma garota de 14 anos e hoje é um dos técnicos mais bem pagos do país.
  • Robinho, mesmo CONDENADO À 9 ANOS DE PRISÃO, segue jogando e trocando de time pelo que pagar mais
  • Goleiro Bruno (mesmo matando e esquartejando uma mulher), de dentro da cadeia estava recebendo proposta de contratação de time, foi solto e estrelou uma campanha publicitária de um CANIL.
  • Netinho de Paula confessou ter agredido sua ex-companheira, se tornou vereador de São Paulo.
  • Alexandre Frota confessou um estupro em TV aberta, hoje é Deputado Federal
  • Kadu Moliterno agrediu duas ex-companheiras, depois disso ainda atuou em oito novelas na Rede Globo.
  • Doutor Bumbum segue solto após ter matado uma paciente
  • Everson “Zoio” multiplicou o número de seguidores após ter confessado um estupro
  • Dado Dolabella espancou 2 namoradas, mas mesmo assim foi escolhido pelo público com 83% dos votos para ganhar um programa e receber 1 milhão de reais.

E a lista prossegue longamente, mas paremos por aqui. Acho que já deu pra perceber que a vida das mulheres é algo com que a sociedade não costuma se importar né?

Então, se temos tantos exemplos de homens que ESTUPRARAM, ABUSARAM, BATERAM E MATARAM, foram condenados, e até sentenciados mas que continuam vivendo normalmente suas vidas como se nada tivesse acontecido, se temos dados que 99% dos estupradores estão IMPUNES, porque se preocupar tanto com os acusados de estupro terem suas vidas destruídas e não com as vítimas que estão tendo suas vidas DE FATO destruídas??? Se foram estupradas de fato, suas vidas foram arruinadas por uma violência, se estão mentindo, suas vidas serão arruinadas pelo escrutínio público que recai sobre a mulher antes mesmo do veredicto da justiça torná-la culpada.

Então, fica o exercício: se a mulher estiver mentindo e você apoiar a vítima sabe o máximo que pode acontecer? Você vai ter ficado do lado de uma mentirosa, o que com toda a certeza ainda é muito melhor do que estar do lado de um estuprador. A mulher mentirosa vai ganhar um processo de calúnia e difamação. Mas e você, o que ganha correndo o risco de defender um estuprador?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui