Mulheres estão se cansando de ignorar a misoginia da Esquerda

O sexismo tanto na Direita quanto na Esquerda está deixando as mulheres sem moradia política.

Owen Jones, um jornalista socialista britânico, está sendo criticado por postar uma foto misógina de si mesmo com uma mulher usando uma camisa em que está escrito “CHUPAREI O PAU DO SOCIALISMO”. Os comentários das mulheres feitos nessa foto deixam claro seu desdém por esse tipo de socialismo:

“Se socialismo é isso, pode ficar com ele.”

“Owen, querido, sua misoginia está aparente. Mulheres não existem para servir sexualmente aos homens.”

“Eu esperava uma revolta espontânea de trabalhadores decentes que levassem um governo socialista ao poder fizesse diferente, mas acho que não dói ter um plano B.”

“Sério? É essa imagem do socialismo e do feminismo que é ‘fato’?”

A Esquerda tem um longo histórico de misoginia, e parece que as mulheres estão se cansando disso. O tweet foi ao ar na véspera de uma eleição que viu mulheres estragando suas cédulas e alegando falta de moradia política. Até os Greens entraram nisso, ao chamarem mulheres de “não-machos” no Twitter. As feministas dos Estados Unidos se sentem da mesma forma; a única candidata mulher viável se rendeu repetidamente à ideólogos de gênero que diametralmente se opõem aos objetivos feministas.

Em 2017, a Vox escreveu:

“Se o novo socialismo de esquerda conseguir transcender seu status periférico, isso só vai acontecer se ele conseguir incorporar — e ouvir — as mulheres do movimento demandando um posicionamento firme contra o sexismo”

Mas não parece que a Esquerda levou essa mensagem a sério.

Mulheres estão há um longo tempo sendo pressionadas a votar em candidatos mais liberais ou progressistas por várias razões. Frequentemente, a misoginia da Direita é mais flagrante, mais mortal e mais repulsiva do que a misoginia da Esquerda. Nos Estados Unidos, leis anti-aborto impostas por Republicanos estão colocando em risco especificamente as vidas das mulheres de baixa renda.

Além disso, a Esquerda geralmente depende da disposição das mulheres de deixar seus próprios interesses de lado para proteger outras classes oprimidas. Independentemente se as minorias sejam ligadas a raça, imigração, ou classes trabalhadoras — espera-se que mulheres de todas as raças e classes priorizem as necessidades desses aspectos de suas identidades acima de suas necessidades enquanto mulheres. Há muito, mulheres colocaram seu feminismo ou bem-estar de lado para dar apoio àqueles que são percebidos como os mais necessitados. As mulheres têm sido a força por trás de cada movimento social. Assim como esperam que sejamos as cuidadoras do lar, também esperam que sejamos as cuidadoras da sociedade.

A misoginia de Jones é apenas a próxima repetição de homens de esquerda assumindo que mulheres continuarão a colocar os objetivos feministas de lado com o intuito de criar a revolução que os homens desejam. Ele e sua gangue são descendentes diretos do poeta e ativista político norte-americano John Sinclair, que supostamente afirmou que após a revolução “grama grátis, comida grátis, mulheres grátis, ácido grátis, roupas grátis, etc” estariam disponíveis para os homens.

Claro que feministas daquela dura época ignoraram seu comportamento. Robin Morgan e outras mulheres no “Rat Subterranean News” se revoltaram, assumindo a revista de esquerda dominada por homens em 1970. Elas escreveram uma crítica à misoginia na Esquerda intitulada “Adeus a tudo isso”:

“A Esquerda genuína não considera o sofrimento de alguém irrelevante ou excitante; tampouco funciona como um microcosmo da economia capitalista, com homens competindo por poder e status no topo, e mulheres fazendo todo o trabalho na base (e tendo como função serem prêmios objetificados ou moeda de troca). Adeus a tudo isso. Corra até o fim.”

Atualmente, a Esquerda está promovendo normas de gêneros regressivas e prejudiciais, a mutilação de crianças que não se conformam ao gênero imposto, violência às lésbicas, o silenciamento de mulheres que se manifestam, positividade sexual centrada no homem, e a compra e venda de mulheres — tudo para ganho masculino. Mulheres supostamente devem calar a boca e votar no “Labour” ou “Democrat” ou qualquer que seja a versão de seu país daquilo que é o “menos mal” para que as coisas não fiquem piores.

Pessoalmente, eu acho que é hora de dizer “Adeus a tudo isso” de novo. Ao invés de forçar nossos esforços na política masculina na esperança de que algum dia teremos nossa vez, deveríamos considerar um Partido Global de Mulheres, unidas em servir aos interesses das mulheres como prioridade. Sim, esses interesses irão frequentemente intersecionar com os interesses de outras populações. Mulheres são metade de cada grupo oprimido no planeta, seja por raça, religião, sexualidade ou nacionalidade. Colocar as mulheres em primeiro lugar é a resposta que os esquerdistas vêm ignorando, e ao que parece, mulheres estão começando a ficar cansadas de serem ignoradas.


M. K. é uma escritora feminista e ativista que também advoga por saúde mental.

Texto de M. K. Fain, 12/12/2019, original pode ser lido aqui.


Foto de fat-freddies-cat

Radfem Apaixonada

Uma fêmea humana adulta apaixonada pelo Feminismo Radical

One thought on “Mulheres estão se cansando de ignorar a misoginia da Esquerda

  • 16/03/2020 at 00:57
    Permalink

    Sim..Vejo isso também no Movimento lgbt onde os Próprios Gays Querem Apoio das Mulheres, porém são os primeiros que na primeira oportunidade que tem são Misóginos e Algumas bestas de Algumas mulheres Ficam dizendo quanto os “Gays são maravilhosos”

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *